sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Frozen: Uma Aventura Congelante


Yeey, pessoas! Olha eu por aqui! \õ/ Pelo título vocês já devem saber sobre o quê eu vou falar, simplesmente sobre o melhor filme da Disney desde O Rei Leão, de acordo com Kevin Fallon do The Daily Beast. Ah, e se você tiver a paciência de ler tudo, tem um presentinho no final.


Eu estou meio atrasada porque eu fui ver esse filme nessa quarta-feira passada (15/01), mas eu fui com as minhas amigas Gabi e Michelle e como todas as vezes que saímos juntas, foi incrível.


Fizemos nosso próprio rolêzinho nas lojas de brinquedos, fazendo listas de compras para nós e nossos futuros filhos/sobrinhos/netos/afilhados ou nós mesmas, abraçando bichos de pelúcias e desejando muitas coisas. Depois fizemos nosso estoque de doces para o filme e tivemos que sair correndo para não perder os trailers. Resultado: acabamos nos sentando na primeira fileira, bem na cara da tela, olhando para cima. E para variar, eu sou tão leve que não consigo fazer o banco recostar (TT.TT). Mas a qualidade Disney fez tudo isso ser irrelevante. Eu me lembro de um certo filme sobre carros falantes que eu vi na mesma posição e cada pixel tinha o tamanho de um palmo adulto.


Mesmo em um lugar desfavorecido e num cinema convencional, a imagem era incrivelmente limpa e lisa. Muito detalhista, esse é o primeiro filme de animação em que é possível ver os poros das pálpebras de alguém.




Agora, as músicas são um ponto forte (se você gosta de musicais, é claro). Apesar de "Livre Estou" não ter superado o original "Let It Go", as músicas foram muito bem adaptadas e a minha favorita é "No Verão" por Olaf. Aliás, o Olaf é o melhor da festa. Fábio Porchat, meu querido, não deixou nada a desejar na dublagem e me fez chorar de rir a cada piada ou trocadilho em que eu fatalmente fazia a ligação com o Porta e com o artista. *-*





Normalmente os filmes da Disney têm o vilão e o mocinho, que geralmente é acompanhado por um anti-herói. No final o vilão morre ou fica bonzinho. Mas Frozen tem esse aspecto humano em que se trabalha as emoções e a expressão delas, a pressão da sociedade, a expectativa e auto-aceitação. Por isso se você espera um confronto direto entre bem e mal, terá uma grande surpresa. ^^


Nesse mesmo dia eu conheci o Johnny Rockets, mas isso é coisa para outro dia. ;)



Ahh, eu não esqueci do presentinho. Se você assistiu o filme (ou mesmo se não assistiu) e amou o Olaf, a Disney tem uma coisa para você. Do you wanna build a snowman?


バイバイ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...